O chefe da missão do Fundo Monetário Internacional, Charles Collyns, disse há pouco, ao deixar o Ministério da Fazenda, que o desempenho da economia brasileira está bom e se sente feliz de poder recomendar a aprovação da nona etapa do acordo do Brasil com o fundo.

Collyns informou que voltará ao país em meados de dezembro, para assinatura do documento de aprovação. Em maio de 2005 está prevista a apreciação da última etapa do acordo, embora, o minsitro da Fazenda, Antonio Palocci, tenha declarado na manha de hoje que provavelmente o paíos não precise tomar dinheiro ao fundo no próximo ano. a afirmação de Palocci foi feita na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), no Palácio do Planalto.