O atual chefe do Departamento de Inteligência da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Márcio Paulo Buzanelli, é o indicado para a diretoria-geral da agência, segundo nota divulgada pelo Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI).

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aceitou a indicação feita pelo ministro-chefe do GSI, general Jorge Armando Félix, e vai encaminhar o nome de Buzanelli para o Senado. É a primeira vez que um servidor de carreira da Abin é indicado para o cargo de diretor-geral. Para assumir o cargo, Buzanelli precisa ser aprovado em sabatina do Senado.

Buzanelli vai substituir Mauro Marcelo de Lima e Silva, que pediu demissão do posto em julho. Na época, o ex-diretor, em nota sobre o depoimento de um agente da Abin na CPI dos Correios, se referiu aos parlamentares como "bestas feras" e à CPI como "picadeiro". O fato provocou reação dos integrantes da comissão, que pediram a demissão do delegado, como demonstração de que a opinião do delegado não é compartilhada pelo governo.

Buzanelli é analista de inteligência e trabalha há quase 20 anos na Abin. Tem todos os cursos da carreira com especialização em combate ao crime organizado e prevenção ao terrorismo. De 2000 a 2002, ele ocupou a posição de Oficial de Ligação e representou o Brasil no órgão americano Counterdrug Operations Center/Joint InterAgency Task Force East (JIATF), com sede no estado da Flórida.