Após um alerta do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná (Sindarspen), feito na última terça-feira (25), dezenove presos integrantes de facção criminosa que estavam custodiados na Penitenciária Estadual de Piraquara I (PEP), na Região Metropolitana de Curitiba, foram transferidos para a Penitenciária Federal de Catanduvas, em Cascavel, nesta sexta-feira (28). A transferência foi realizada em uma megaoperação que envolveu diversas forças de segurança. As investigações apontam que esses presos planejavam uma nova fuga, já que não conseguiram escapar na ação orquestrada no dia 11 de setembro.

Para alertar o Governo sobre o risco de presos faccionados permanecerem na PEP após a ação, o Sindarspen acionou diversos órgãos dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, no dia 25, cobrando mais segurança e uma possível transferência. O acionamento ocorreu após funcionários serem ameaçados e informados que uma nova fuga poderia acontecer. Ainda conforme o sindicato, a transferência para um presídio federal seria a melhor opção, já que a possibilidade de fuga é praticamente inexistente.

Leia mais: Agente de cadeia é preso em carro de luxo suspeito de facilitar fuga cinematográfica

Os presos transferidos são considerados lideranças com uma extensa ficha criminal e de alta periculosidade. O Departamento Penitenciário (Depen) informou, assim como o Sindarspen, que durante o trabalho de investigação estes presos foram identificados como possíveis alvos da fuga que ocorreu na PEP em setembro, mas que não tiveram êxito na fuga. Agora, eles passam a cumprir pena em unidade de segurança máxima.

A transferência teve início às 6h da manhã, e contou com a participação de agentes penitenciários do Serviço de Operações Especiais (SOE) do Depen, policiais do Centro de Operações Policiais Especial (COPE), da Polícia Civil, do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Batalhão de Operações Aéreas (BPMOA), da Polícia Militar, além de agentes penitenciários do Depen nacional.

A fuga

Presos foram resgatados da Penitenciária Estadual de Piraquara I (PEP). Foto: Gerson Klaina / Tribuna do Paraná
Presos foram resgatados da Penitenciária Estadual de Piraquara I (PEP). Foto: Gerson Klaina / Tribuna do Paraná

O arrebatamento de presos foi registrado na madrugada do dia 11 de setembro, quando 29 presos fugiram após criminosos abrirem um buraco no muro com o auxílio de explosivos. Até o momento, seis presos foram recapturados – quatro deles foram presos no município de Quatro Barras, um em Cascavel e outro no Paraguai.

Além dos seis foragidos, outras sete pessoas foram presas suspeitas de participar do grupo criminoso que explodiu o muro e facilitou a fuga de presos em Piraquara, um deles era agente de cadeia. As investigações continuam e são conduzidas pela Polícia Civil.

Mais transferências

Em nota divulgada neste sábado (29), o Sindarspen  informa que espera que além de transferir presos perigosos, o governo do Estado inicie processo para realização de concurso público para agente penitenciário, “já que a falta de pessoal é um dos maiores gargalos do sistema hoje no Paraná”.

Ainda segundo o sindicato, o “déficit de mil agentes em todo o estado compromete a segurança das unidades e cumprimento da Lei de Execução Penal”. O sindicato também afirma que segue acompanhando os desdobramentos para a automação das unidades penais, prometida pelo Depen e cuja licitação está em curso. A automação é uma demanda da categoria para que o contato com os presos sejam reduzidos, enviando os riscos de rebeliões e fugas.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Bolsonaro falou com Datena de dentro do hospital. Veja o que ele disse!