Em uma partida disputada e até certo ponto violenta, o Chelsea derrotou o Manchester United por 1 a 0 com gol marcado na prorrogação, e conquistou neste sábado o título da Copa da Inglaterra.

O gol da vitória foi marcado pelo marfinense Didier Drogba, aos 10 minutos do segundo tempo da prorrogação. Ele aproveitou falha da zaga e deu um toque sutil, na saída do goleiro Edwin Van der Sar.

No tempo regulamentar, a partida ficou empatada em 0 a 0. Ambos os times priorizaram a marcação e criaram poucas oportunidades de gol. Wayne Rooney, por parte do Manchester, teve as melhores chances, mas não conseguiu concluir.

Esta foi a primeira partida oficial disputada no novo Estádio de Wembley, que contou com cerca de 90 mil torcedores – o maior público para uma final da Copa da Inglaterra em 19 anos. Foram gastos mais de R$ 3 bilhões na construção do estádio.

Em março, o estádio já havia sido inaugurado para teste. Cerca de 60 mil pessoas acompanharam o duelo entre as seleções sub-21 de Inglaterra e Itália – o jogo terminou empatado em 3 a 3.

Esta foi a quarta conquista do Chelsea. A vitória, por sinal, teve um gosto especial para os jogadores, uma vez que o clube de Londres perdeu o título do Campeonato Inglês deste ano justamente para o Manchester. O técnico do time vencedor, José Mourinho, também comemorou bastante. O português, que já ganhou o Campeonato Inglês e a Copa da Liga, conseguiu agora o título que lhe faltava no futebol inglês.

O Manchester sofreu com os desfalques de três importantes nomes do time: Shevchenko, Ballack e Ricardo Carvalho. Além disso, o principal craque da equipe, o português Cristiano Ronaldo, não estava em dia inspirado.

A Copa da Inglaterra é a competição mais antiga da história do futebol. Ela começou a ser disputada na temporada 1871/1872.