O governo chinês divulgou neste sábado (19) sua primeira estatística em três meses sobre a gripe aviária. De acordo com informação da agência oficial de notícias Xinhua, a partir de dados do Ministério da Agricultura, a gripe aviária matou 11.172 aves no vilarejo de Hunan, na região central da China. Outras 52.874 aves foram sacrificadas, mas a agência de notícias chinesa não revelou detalhes sobre a localização.

A última vez que o governo havia divulgado informações sobre o número de aves mortas no país vítimas da gripe aviária foi em março, quando a doença atingiu um mercado de aves na capital tibetana de Lhasa. Cerca de 680 galinhas morreram e outros 6.990 pássaros foram confinados. Milhões de pássaros têm sid.

sacrificados para conter uma contaminação em massa da gripe aviária na China. Medidas também foram tomadas para vacinar as aves.

O vírus da gripe aviária matou pelo menos 185 pessoas no mundo desde o surgimento dos primeiros casos de contaminação em aves na Ásia, no final de 2003, segundo a Organização Mundial da Saúde. A transmissão para humanos ainda é difícil, mas os peritos temem que o aumento da contaminação em aves facilite a mutação do vírus com capacidade para transmissão entre os humanos. Até agora as pessoas que morreram contraíram a doença por meio de contaminação direta com os animas infectados.