Por mais preocupantes que as previsões oficiais do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) possam parecer, as verdadeiras expectativas dos cientistas sobre as conseqüências do aquecimento global podem ser ainda piores. ?A maioria dos cientistas que conheço é mais pessimista do que gosta de admitir em público?, afirma John Holdren, diretor do Programa de Ciência, Tecnologia e Políticas Públicas da Universidade de Harvard e ex-presidente da Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS).

Ele diz que pesquisadores costumam ser cautelosos com o que dizem, para não parecerem demasiadamente alarmistas. A idéia é mostrar claramente a seriedade do problema, mas sem causar falsa impressão de exagero nem assustar as pessoas de tal maneira que elas se sintam impotentes para fazer algo a respeito.

Um dos maiores especialistas do mundo em mudanças climáticas, porém, Holdren não se inibiu ao falar sobre o assunto em encontro na John F. Kennedy School of Government de Harvard, no fim de semana – um dia após a divulgação do terceiro relatório do IPCC. Para ele, a concentração de gases do efeito estufa na atmosfera já ultrapassou o limite do ?perigoso?, como diz a terminologia do Protocolo de Kyoto, e está se aproximando do ?catastrófico?.