Ao abrir nesta quarta-feira (20.04), em Curitiba, um seminário sobre o Programa de Sistemas de Transporte Urbano Sustentável do Paraná, o secretário do Desenvolvimento Urbano, Renato Adur, anunciou o início da elaboração de planos diretores de transporte público para os municípios de Londrina, Paranaguá, Arapongas, Apucarana e Guarapuava. Os planos, que devem estar prontos dentro de 12 meses, vão nortear um processo contínuo de planejamento e gestão dos serviços de transporte urbano.

O seminário, realizado no auditório da Sedu/Paranacidade, reuniu prefeitos, secretários e técnicos dos cinco municípios, especialistas da Secretaria do Desenvolvimento Urbano e do Serviço Social Autônomo Paranacidade, além de dirigentes e funcionários do consórcio Logit-Logitrans, vencedor de licitação para prestar consultoria ao projeto.

Renato Adur disse que o programa de transporte urbano sustentável, pioneiro no Paraná, nasceu de um convênio firmado entre o Governo do Estado e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O secretário afirmou que o governador Roberto Requião, incentivador do programa, considera fundamental a gestão pública dos sistemas de transporte urbano, ?pois quem vai sair ganhando com isso é a população?.

Os servidores municipais, a serem capacitados pelo programa, estarão em igualdade de condições com a iniciativa privada para discutir tecnicamente o sistema de transportes, ?principalmente para que não haja injustiças ou favorecimentos, por exemplo, na fixação de tarifas e na operação dos serviços?, acrescentou.

Novas culturas

O superintendente executivo do Paranacidade, Luiz Forte Netto, destacou que o programa, além de permitir a implantação de novos sistemas e modelos de transporte coletivo nas cidades paranaenses, vai transferir novas culturas, práticas e tecnologias aos técnicos municipais do setor.

O Programa de Sistemas de Transporte Urbano Sustentável compreende a criação de um centro de excelência em planejamento, operação e gestão de infra-estrutura e serviços de transportes urbanos dentro do Paranacidade; o apoio técnico aos municípios na capacitação de servidores e no desenvolvimento de planos e projetos de transportes; e a elaboração dos planos diretores de transporte público.

Qualidade

O prefeito de Londrina, Nedson Micheleti, considera que, no momento em que o Brasil inteiro está debatendo a questão do transporte público, a iniciativa do governo Requião ?veio na hora adequada porque estava faltando suporte para o o planejamento e o desenvolvimento sustentável do setor?. Disse que ?linhas adequadas e menos tempo de percurso são fundamentais para a qualidade de um sistema?, e enfatizou que, ?com um bom planejamento, é possível baratear o custo da passagem?.

Depois de afirmar que as cidades criam meios de transporte sem estudo, ?de maneira empírica?, o prefeito de Arapongas, Beto Pugliesi, disse que ?o governo do Estado dá um grande passou com esse programa?. E ressaltou que ?o planejamento leva a uma economia de investimentos e isso resulta na diminuição do valor da tarifa do transporte coletivo?.

O prefeito de Paranaguá, José Baka Filho, afirmou que ?a Sedu/Paranacidade mostra sensibilidade e capacidade técnica com esse programa, que certamente ajudará a melhorar as condições de vida da população?. O prefeito de Apucarana, Valter Pegorer, disse que se não houver um planejamento no transporte coletivo urbano, ?o cidadão é quem sairá prejudicado?. Pegorer garantiu que ?essa parceria da prefeitura com a Sedu/Paranacidade trará economia de investimentos?.

Já o prefeito de Guarapuava, Luiz Fernando Ribas Carli, foi representado pela secretária da Habitação e Urbanismo, Ana Lúcia Odebrecht Massaro. Para ela, o programa é ?de fundamental importância para a estrutura organizacional e de desenvolvimento urbano?, porque as ?intervenções pontuais, sem planejamento, podem atender e solucionar problemas momentâneos e emergenciais, mas se não estiverem contextualizadas num plano maior, não atendem à cidade de um modo holístico?.