O atual ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, foi condenado a pagar indenização de 100 salários mínimos ao atual prefeito de São Paulo, José Serra (PSDB), segundo decisão da 4ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça (TJ).

Em entrevista concedida no dia 20 de março de 2000 ao jornal "Folha de São Paulo", Ciro qualificou Serra de "candidato dos grandes negócios e das negociatas". A decisão, da qual ainda cabe recurso, foi publicada hoje (7) no Diário Oficial.

Na época, Ciro e Serra eram pré-candidatos à Presidência da República. Na entrevista, Ciro acrescentou que Serra "era candidato da manipulação despudorada do espaço público e do dinheiro público, para fins eleitorais".

A decisão condenatória do Tribunal de Justiça assinala que Ciro agiu com o único intuito de ganhar espaço na mídia "pela frase de efeito e agressividade exacerbada". O relator do processo, desembargador Francisco Loureiro, assinalou que Ciro fez "imputação ofensiva desprovida de qualquer crítica ou valoração de comportamento". Acrescentou que suas declarações descambaram para a ofensa sem base ou interesse público".