A cirurgia que visa separar gêmeas siamesas iranianas, unidas pela cabeça, entrou em seu segundo dia e em uma fase considerada crucial. Os médicos estão otimistas, ainda que prudentes, sobre os resultados. Segundo o Hospital Raffles de Cingapura, onde está sendo feita a operação, a primeira etapa transcorreu sem problemas. Os cirurgiões conseguiram tirar, na tarde do domingo, a pele do crânio das irmãs Ladan e Lalah Bijani, 29, e começaram a separar suas cabeças.

Esta é a primeira vez que se tenta separar siameses adultos unidos pela cabeça.

As siamesas têm corpos e cérebros distintos, mas compartilham a caixa cranial e uma artéria que irriga o cérebro.

Uma equipe internacional está encarregada da cirurgia e é formada por 24 médicos e cem assistentes. A operação começou este domingo e deve durar entre dois e quatro dias. (Correio Web com informações da FolhaNews)