O ex-presidente americano Bill Clinton defendeu nesta segunda-feira (30) a inclusão do Brasil em um Conselho de Segurança da Organizações das Nações Unidas (ONU) ampliado. "O Conselho de Segurança deveria ser expandido e Japão, Índia, União Européia e Brasil deveriam ganhar um assento permanente," disse Clinton durante o almoço no Fórum de Desenvolvimento Sustentável. O evento, organizado pelo empresário Mário Garnero, contou com a participação de cerca de 150 pessoas, entre elas os governadores de Minas, Aécio Neves, do Rio, Sérgio Cabral, do Mato Grosso, Blairo Maggi, o presidente do PMDB, Michel Temer, e o ex-presidente José Sarney.

Segundo o ex-presidente Clinton, a desigualdade social é um enorme desafio e explica a popularidade do presidente venezuelano Hugo Chávez e a eleição do presidente da Bolívia Evo Morales. "Se eu fosse alguém na Bolívia eu obviamente teria votado em Evo Morales, independentemente de suas políticas.

Clinton elogiou a experiência brasileira com etanol e afirmou que o etanol de cana é o melhor do mundo. "Se você olhar para a experiência brasileira com etanol de cana, com US$ 5 bilhões em subsídios foram criados um milhão de empregos rurais." O ex-presidente americano afirmou que, hoje, há mais pessoas olhando para o Brasil como modelo até do que para os EUA. "Há muitos países pensando: eu quero ser o Brasil", disse Clinton. "Estive com o primeiro-ministro da Etiópia outro dia e ele disse que queria ser o Brasil da África. Nós podemos produzir cana de açúcar igualzinho ao Brasil.