O cofre apreendido na semana passada em poder do contador Marco Aurélio Prata, que trabalha nas agências de publicidade do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza (SMP&B e DNA Propaganda), estava vazio. O cofre foi aberto após mais de duas horas de trabalho.

Os peritos da Polícia Civil de Minas Gerais começaram na manhã de hoje a fazer a análise técnica dos documentos e dos equipamentos (o cofre, 12 computadores e um gravador) apreendidos na semana passada com Prata.

O laudo que os peritos farão sobre os materiais apreendidos serão encaminhados, posteriormente, ao Ministério Público Estadual (MPE).