A Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) concluiu nesta sexta-feira mais 132 moradias do Casa da Família em cinco municípios. Foram construídas 18 moradias rurais em Ubiratã e 55 indígenas em Nova Laranjeiras, sendo 43 casas para a etnia Kaingang e 12 para a Guarani. Os empreendimentos urbanos que foram concluídos localizam-se em Ibaiti (7 unidades), Santo Antonio da Platina (40) e Miraselva (12).

O Casa da Família tem como fontes de financiamento recursos próprios do Governo do Estado, do Programa de Subsídio à Habitação de Interesse Social (PSH), do Governo Federal, por meio do Ministério das Cidades e do FGTS.

?Essas moradias representam o avanço do Casa da Família, um dos programas habitacionais mais abrangentes do país, pois atendemos demandas específicas na área rural, como os pequenos agricultores e os povos indígenas, e também não deixamos de suprir as necessidades de novas casas nas zonas urbanas dos municípios paranaenses que crescem e precisam abrigar seus novos habitantes?, afirma o presidente da Cohapar, Luiz Claudio Romanelli.

Com base nos dados da Fundação João Pinheiro (MG), o déficit habitacional total no Estado é de 260.648 domicílios (229.069 urbanos e 31.579 rurais). A maior parte (85,4%) desse déficit é formada por famílias de baixa renda (até três salários-mínimos).

O sistema utilizado para a construção das casas é o de Gestão Comunitária, com a participação efetiva da comunidade, através da Associação de Moradores. A Associação contrata a Cohapar para prestação de serviços de planejamento, implantação e fiscalização das obras.

Com a medida, a economia obtida chega a 50%, quando comparado aos custos praticados pelo mercado. Com a implantação do sistema, a Cohapar recebeu, neste ano, o prêmio Selo de Mérito, da Associação Brasileira de Cohabs (ABC).