A coligação do Voto Limpo (PPS/PHS) protocolou hoje representação no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE/PR) contra a propaganda veiculada pelo PT no horário eleitoral. A ação ­ também subscrita por Rubens Bueno e pelo PPS ­ pede imediata suspensão e direito de resposta, com medida liminar, à inserção petista que insinua que o candidato Ângelo Vanhoni tem o apoio de Rubens no segundo turno da eleição de Curitiba.

“A propaganda petista é ardilosa e, sobretudo, mentirosa. Induz o eleitor a pensar que estamos apoiando Vanhoni, o que é rigorosamente falso”, disse Bueno. “O PPS e o PHS estão fora do segundo turno, adotaram uma postura de independência, não apóiam nenhum dos dois candidatos. É fundamental que o povo de Curitiba esteja ciente disso. Não vamos permitir que o eleitor seja enganado e ludibriado por essa farsa que está sendo insistentemente martelada no rádio e na televisão. O PT e Vanhoni adotaram a velha tática de repetir uma mentira mil vezes até que ela se torne ?verdade?, mas vamos desmascarar essa fraude”, acrescentou.

No texto da representação, o advogado da coligação, Luiz Felipe Haj Mussi, comenta que “a utilização do nome de Rubens Bueno não foi autorizada, é indevida e não corresponde à verdade”. “A veiculação procura induzir o eleitor no sentido de que Rubens Bueno estaria apoiando a candidatura de Vanhoni. Isto não é verdade. Rubens sempre foi um homem de partido. Afirmou aos quatro ventos que aguardaria a decisão de seu partido (PPS) para, daí sim, manifestar sua opinião sobre apoio no segundo turno”, afirmou (leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná.