A equipe M Brasil, integrada por oito atletas que representaram o município de Colombo, foi a grande vencedora do I Circuito das Nascentes, corrida de revezamento que marca um novo tempo na integração da região metropolitana de Curitiba. O Circuito, de 82,5 km, percorreu seis municípios da região – Piraquara, Quatro Barras, Colombo, Almirante Tamandaré, Campo Magro e Curitiba – e reuniu, nesta primeira edição, 394 atletas.

Marcos Melo, atleta que percorreu a etapa final pela M Brasil, rompeu a faixa de chegada no Parque São Cristóvão, em Santa Felicidade, exatas 4h28m48s depois da largada, às 7h30, em frente à prefeitura de Piraquara. Marcos, que também é treinador de outras quatro equipes participantes da prova, garantiu que estará de volta no próximo ano. O tempo nublado, com temperatura amena, ajudou na performance dos atletas.

Calendário

"Estamos apenas na primeira edição, mas com certeza o Circuito das Nascentes já entrou para o calendário da Região", comemorou o secretário para assuntos metropolitanos, da prefeitura de Curitiba, Rui Hara, que recepcionou os atletas na chegada. "É a estréia de um novo roteiro para eventos de esporte, lazer e turismo, que abre perspectivas econômicas para todas as cidades envolvidas", afirmou.

O secretário de Esporte e Lazer de Curitiba, Raul Plassmann, disse que o envolvimento dos municípios e a participação da comunidade garantiram o sucesso do Circuito. "É a integração das nossas cidades acontecendo através do esporte, incentivando o turismo, valorizando o patrimônio cultural de cada município e ajudando a disseminar a consciência da importância da preservação ambiental", afirmou.

Os seis municípios envolvidos não deixaram por menos. Nos pontos de transição, equipes a postos ofereciam frutas e água aos atletas, monitorados o tempo todo pelos organizadores. As prefeituras montaram quiosques de divulgação de atrações turísticas, culturais e gastronômicas das cidades.

Em Colombo, um grupo folclórico brindou os atletas com danças e canções; em Almirante Tamandaré o público pôde visitar a Feira das Carroças, no caminho dos atletas. Na chegada, no Parque São Cristóvão, em Santa Felicidade, os atletas foram recebidos com festa pelos organizadores e comunidade.

Participaram do I Circuito das Nascentes, 394 atletas de 64 equipes, um número que surpreendeu até mesmo a organização do evento. A prova tem duração máxima de 8 horas, com premiação nas categorias Dupla Aberta (atletas com mais de 16 anos), Aberta Mista (no mínimo dois atletas de cada sexo), Feminina, Veterana Masculina (atletas nascidos até 1966) e Veterana Feminina (atletas nascidas até 1971). A prova prevê punição para a equipe que poluir o meio ambiente. Os vencedores recebem medalhas e troféus.

Embora esteja em sua primeira edição, a Corrida de Revezamento do Circuito das Nascentes está entre as maiores provas do sul do país, junto com a Volta à Ilha de Florianópolis (155 km) e a travessia de São Francisco do Sul (90 km).

A maior atração do Circuito das Nascentes é o cenário. O percurso alterna vias pavimentadas com asfalto, outras com paralelepípedos e trechos de saibro. Os rios Iraí, Palmital, Barigui, Passaúna, Belém e Atuba, afluentes do rio Iguaçu, estarão no trajeto percorrido pelos atletas. "As equipes passam por sítios, fazendas, plantações de eucalipto, áreas urbanas, região de produção de calcário e de hortifrutigranjeiros", destaca o coordenador do Circuito das Nascentes, Adalberto Medeiros.

Para o diretor do Departamento de Cultura e Esporte de Quatro Barras, Gilmar Franco, o turismo da região será bastante beneficiado com a iniciativa. "Nosso município fica ao pé da Serra do Mar e ao lado da Represa do Iraí. Temos muitas atrações para mostrar, como o Morro do Anhangava, um dos melhores locais para a prática de montanhismo, o Caminho do Itupava e a Estrada da Graciosa", diz Franco.

Os municípios buscaram formas de aproveitar melhor o lançamento do Circuito das Nascentes. Colombo, por exemplo, preparou apresentações folclóricas. "É um bom momento para divulgar o Circuito Italiano de Turismo Rural, com cerca de 52 empreendimentos, entre restaurantes, vinícolas, agricultura orgânica e pousadas", diz o secretário municipal da Comunicação, Mauro Rockenbach.

O diretor de Turismo de Campo Magro, Marcelo Gomes Ferreira, ressalta que esta é uma boa oportunidade para fortalecer o turismo na região metropolitana, onde já existe infra-estrutura e oferta de turismo de aventura e rural. Ferreira cita, por exemplo, o Morro da Palha, em Campo Magro, onde a prática do vôo livre e trilhas de moto e jeep atraem cerca de 1.500 pessoas nos finais de semana. "Praticamente a totalidade do nosso município é ocupada por área de proteção ambiental, por isso não podemos ter indústrias. O turismo, então, é a alternativa econômica mais viável", diz Ferreira.

Trajeto seguro

A corrida contou com um esquema especial de segurança montado pelas polícias Militar, Rodoviária Estadual, Federal, com o apoio da Guarda Municipal e Diretran, em Curitiba, e a participação dos demais municípios.

A sinalização e a orientação dos corredores foi feita através de galhardetes instalados a cada 150 metros, marcação na pista e, em diversos pontos, principalmente em locais de bifurcação ou que exigem maior cuidado do atleta, com funcionários dos municípios e da organização.

A Polícia Militar colocou à disposição 40 motociclistas, um para cada 2 km da corrida. A Polícia Rodoviária Federal está presente nas duas rodovias federais (a BR 116 e a Estrada da Ribeira), e a Polícia Rodoviária Federal nas estradas do Estado (Rodovia dos Minérios, Rodovia do Cerne e Rodovia da Uva).