O ex-ministro da Casa Civil e ex-deputado federal José Dirceu (PT) utilizou seu recém estreado blog para entrar na polêmica criada pela declaração de ontem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao Jornal Nacional. Lula enfatizou que determinou o afastamento de Dirceu do cargo, derrubando a versão de que a saída havia sido negociada. Segundo Dirceu, o presidente Lula optou pelo seu afastamento porque ele próprio pediu para deixar a Casa Civil.

"Chegamos à conclusão de que o caminho era meu afastamento do governo. Mas, como é obvio, no presidencialismo quem decide é o presidente da República e a decisão do presidente foi pelo afastamento. Foi o que fiz, pedi afastamento, até porque sempre coloquei os interesses do Brasil e do governo acima do meu cargo. Ponto final", destacou.

Sob o título "No presidencialismo, quem decide é o presidente", Dirceu inicia os comentários sobre a polêmica dizendo que não abordaria a discussão "afastamento ou demissão do governo". Entretanto, escreve que as duas hipóteses são verdadeiras. E cita entrevista que concedeu à revista Fórum, com as seguintes afirmações: "Saí porque pedi para sair, me dei conta de que o presidente queria que eu saísse" e "Eu não era presidente, era ministro, tanto é que ele me demitiu quando precisou.

O ex-ministro da Casa Civil ressalta no blog que as duas respostas (que pediu para sair e que foi demitido por Lula) são verdadeiras. E lembra que foi convocado, com o ex-presidente nacional do PT José Genoino, para uma reunião com Lula para discutir a situação. No encontro, a conclusão foi de que o caminho era seu afastamento do governo. "O presidente decidiu por um caminho para enfrentar a crise, evitando o confronto com as forças que apostaram na calúnia, na conspiração e no golpismo. Minha opção era por mobilizar a militância e os movimentos sociais contra os ataques das elites conservadoras. Mas essa divergência não me impede de reconhecer que o presidente Lula saiu da crise mais forte.