Brasília (AE) – Além de confirmar a classificação para a Copa da Alemanha, em 2006, ao massacrar o Chile por 4 a 0 neste domingo, em Brasília, o Brasil não deixou dúvida de que tem, de longe, o melhor time do mundo atualmente. Não pela fácil vitória diante de um frágil adversário, mas por mostrar cada vez mais entrosamento e contar com Robinho, Ronaldo, Adriano e Kaká, entre outros, em ótima forma. O quarteto mágico deu show no ataque e, quem diria, levou o torcedor a esquecer que a seleção ainda tem à disposição Ronaldinho Gaúcho, eleito o melhor do planeta na última temporada, em eleição da Fifa.

O craque do Barcelona não entrou em campo por estar suspenso. E não fez falta. A equipe jogou bem e, na metade do primeiro tempo, já havia assegurado o triunfo. "Esperava um jogo bem mais complicado, mas o time se aplicou e conseguiu fazer quatro gols no primeiro tempo", comentou Carlos Alberto Parreira.

Com a goleada, o Brasil chegou a 30 pontos nas Eliminatórias Sul-Americanas e ficou apenas um ponto atrás da líder Argentina. Mesmo que perca os dois jogos restantes, contra Bolívia, em La Paz, e Venezuela, em Belém, a seleção não sai mais da zona de classificação para o Mundial, que reúne os quatro primeiros colocados – apenas Equador e Paraguai podem ultrapassar os brasileiros. O quinto disputará repescagem com o campeão da Oceania.

A vaga para a Copa foi conquistada com mais facilidade que na última edição das Eliminatórias, quando o time, na época dirigido por Luiz Felipe Scolari, se classificou apenas na última rodada. Agora o Brasil terá de conviver com o rótulo de favorito antes do mundial. É apontado por treinadores, jogadores e jornalistas como o candidato número 1 ao título na Alemanha.

VITÓRIA SEM SUSTO – O torcedor lotou o Estádio Mané Garrincha, em Brasília, esperando ver bom desempenho da seleção. Mas seguramente não imaginava uma vitória tão fácil. O Chile entrou para jogar de forma defensiva, porém não foi capaz de parar o quarteto mágico brasileiro. Os meias e os atacantes tiveram ótima atuação e humilharam os zagueiros adversários sem dó. Logo no primeiro lance o Brasil deixou claro que não ficar esperando o Chile. Poucos segundos depois do início da partida, Robinho viu o goleiro Tapia adiantado e quase marcou por cobertura.

O primeiro gol levou apenas 11 minutos para sair e desmoronou o esquema dos chilenos. Kaká cobrou escanteio e o zagueiro Juan fez de cabeça. Em menos de meia hora, o placar já apontava 4 a 0. O lance mais bonito, que levantou a torcida nas arquibancadas, foi o do segundo gol, que contou com participação de todo o ataque. Adriano fez boa jogada individual pela direita e cruzou para Kaká. O meia tocou para Ronaldo, que, com categoria, pôs Robinho na cara do gol. O ex-santista fez sem dificuldade, chutando de primeira. O oportunista Adriano ainda marcou o 3.º e o 4.º gols, garantindo a equipe na Copa do Mundo antes mesmo do intervalo. "Foi uma vitória sem susto, conseguimos ganhar com facilidade", festejou o capitão Cafu. "Mas precisamos de alguns acertos para a Copa."

Na segunda etapa, a seleção, sem Ronaldo, substituído por Ricardinho por ter sentido dores musculares, diminuiu o ritmo e parou de pressionar o Chile, que tampouco se preocupou em fazer gol. Nos acréscimos, quando o placar parecia definido, Adriano recebeu de Robinho e fez o 5.º do Brasil, seu 3.º na partida. A seleção buscará, agora, o título simbólico das Eliminatórias, que na prática pouco interessa.