O combate à criminalidade voltou a ser a prioridade número um para a definição do voto para Presidente da República, em outubro. De acordo com a pesquisa CNT/Sensus, divulgada esta manhã, 40% dos entrevistados afirmaram que o combate ao cr ime é o fator que mais pesará na hora de escolher o futuro presidente do Brasil. As propostas de desenvolvimento do País aparecem em segundo lugar na lista de fatores que influenciarão a escolha dos eleitores em outubro. O combate a corrupção, que liderava a lista em fevereiro, aparece agora em terceiro lugar, sendo citado por 13,1% dos dois mil entrevistados, como o fator de maior peso na hora da escolha do futuro presidente brasileiro. 

A honestidade continua sendo a principal característica esperada pelos eleitores do futuro presidente do País. A pesquisa revela ainda que 79% dos entrevistados afirmaram que mudariam seu voto para presidente ou governador caso seu candidato fosse acusado ou estivesse sendo processado por uso de drogas.

Outro fator que pode alterar o voto dos brasileiros é a indicação ou processo de corrupção contra um candidato. A defesa aberta de temas polêmicos, como o aborto, a união entre homossexuais ou o jogo do bicho e cassinos, também são fatores que podem alterar o voto para presidente ou governador, segundo revela a pesquisa CNT/Sensus. 

A aliança com adversários históricos também poderá prejudicar os candidatos. Para 32,9% dos entrevistados, esse tipo de aliança que teria como único objetivo de conquistar mais votos, poderia ser um motivo para a troca de candidato. Para 25,4%, entretanto, isso não faria com que o voto, já definido, posse alterado.

A pesquisa revela que a TV continua sendo o principal meio pelo qual os eleitores buscam informações sobre os candidatos às eleições de outubro. As discussões políticas são travadas nas conversas com amigos e vizinhos. Entretanto, 35,4% dos entrevistados disseram que não têm discutido política atualmente.