O presidente da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, Antônio Sarkis Júnior, não acredita que o fluxo comercial entre o Brasil e os países árabes dobrará em três anos, conforme aposta do ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan. Segundo o empresário, o fluxo, atualmente em US$ 8,1 bilhões, só conseguirá ser duplicado em cinco anos. Sarkis abriu o Encontro Empresarial Brasil-Países Árabes, em São Paulo.

As exportações para os países árabes cresceram 46% no ano passado, atingindo US$ 4 bilhões. O déficit comercial ficou, no lado brasileiro, em US$ 100 milhões. Das 1.005 empresas nacionais que exportaram para os países da Liga Árabe, 184 iniciaram suas operações de comércio exterior no mercado do Oriente Médio.

Segundo Sarkis, foram exportados quase 2 mil itens no ano passado, dos quais 236 tiveram esse destino pela primeira vez. "Os esforços do governo na ampliação da pauta e dos volumes comercializados com os países árabes podem ser facilmente mensurados no salto das exportações em 2004", comentou.