ecoterra.jpgO verão é época de reprodução e de nascimento dos filhotes do papagaio-de-cara-roxa. Este é um ponto importante para os projetos que evitam a extinção da ave. No entanto, os contrabandistas vendem o papagaio para os turistas, já que é um período que facilita a captura dos filhotes por estarem fragilizados.

Desde 1997, a organização não governamental SPVS (Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental) trabalha no projeto de conservação do papagaio-de-cara-roxa. Os números são otimistas. Naquele ano, eram 3,6 mil indivíduos em todo litoral. Hoje, este número aumentou para 4,9 mil.

Os hábitos e comportamentos da ave também são estudados pela equipe da ONG. Um dos exemplos é o monitoramento de ninhos durante o período reprodutivo. No Paraná, técnicos da SPVS, estudantes de veterinária, biologia e voluntários monitoram os sítios reprodutivos das Ilhas Rasa, das Peças, Gamelas, Ilha Grande e Ilha do Mel.

Rádio-colar

O deslocamento em seu habitat natural, os locais de alimentação, reprodução e dormitório são feitos pelo uso de um "rádio-colar". O equipamento pesa menos de 8g, não prejudica os movimentos e é colocado no filhote ainda no ninho.

As denúncias de compra, venda e captura de animais podem ser feitas gratuitamente pela Linha Verde do Ibama. O telefone é 0800-618080

www.ecoterrabrasil.com.br