A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio da Câmara dos Deputados aprovou há pouco o projeto de lei complementar do Executivo que abre o mercado de resseguros. O projeto determina que as operações de resseguro relativas a seguro de vida sejam feitas por empresas com sede no Brasil. Atualmente, a atividade é exercida apenas pela estatal Brasil Resseguros S.A (IRB)

O relator do projeto, deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), sugeriu também o fim da exigência de um tempo mínimo de atividade para que as resseguradoras estrangeiras se instalem no Brasil. A medida visa um aquecimento no mercado interno com a chegada de novas empresas e uma conseqüente queda nos preços para o consumidor final. O projeto será encaminhado para votação no plenário.