O presidente da Sanepar, Stênio Jacob, recebeu nesta sexta-feira (19) 15 técnicos sul-coreanos do Comitê de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Meio Ambiente, incluindo o presidente e dois vice-presidentes do órgão e representantes do Conselho Metropolitano de Seul. A maioria formada por engenheiros das áreas de hidráulica e recursos hídricos.

Stênio contou que a Sanepar atende a mais de 8 milhões de pessoas, em 344 dos 399 municípios, e que 99,4% da população tem acesso à água tratada e 50% ao serviço de coleta e tratamento de esgoto. Índice que considera pequeno. ?A Organização Mundial de Saúde recomenda que o serviço de esgotamento sanitário chegue a 65% da população, e a nossa meta é alcançar a marca dos 80%, praticamente cumprida nas cidades com mais de 50 mil habitantes.? Ele destacou que o sistema de esgoto tem de ser estendido aos municípios menores.

O presidente ainda relatou à comitiva que a Sanepar é uma empresa pública, mas que houve uma tentativa de privatização. ?Graças à garra do governador Roberto Requião, a companhia voltou às mãos dos paranaenses?, reforçou. E finalizou explicando que, se a Sanepar não fosse pública, não haveria nenhuma possibilidade de instituir a Tarifa Social. ?Programa que, hoje, beneficia 1,5 milhão de pessoas de baixa renda. Todas têm acesso ao saneamento básico, uma questão de saúde pública?, afirmou.

O presidente do Comitê de Desenvolvimento de Recursos Hídricos, Park Byeong Ku, disse que Seul tem 10 milhões de habitantes e que apenas 3% bebem água diretamente da torneira, sem utilização de filtros caseiros. ?Apesar da água já ser boa, queremos melhorar ainda mais a qualidade do produto, porque temos de aumentar este índice?, afirmou.

Os engenheiros e técnicos conheceram o sistema de tratamento de água do Iraí da Sanepar. Segundo Jae-Hyo Lee, doutor em meio ambiente, algumas peculiaridades do tratamento da água no Paraná chamaram a atenção do grupo. É o caso do uso do flúor e do sistema de flotação. ?Ficamos impressionados também com o fato de a água aqui não ter cheiro de cloro, bem diferente da nossa, em Seul?, disse. Ele contou ainda que esta visita vai ser útil no estabelecimento de novas diretrizes para a cidade. ?Nosso sistema é municipal e ainda temos muito que aprender para alcançar um melhor índice de qualidade?, finalizou.

Números

Seul ou Seoul é a capital e maior cidade da Coréia do Sul, situada no noroeste do país, nas margens do Rio Han. Constitui uma cidade especial, pelo que o seu nome completo é Cidade Especial de Seul. A cidade tem cerca de 10,3 milhões de habitantes e uma área de 605,52 quilômetros quadrados. A área metropolitana tem cerca de 22,7 milhões de habitantes, o que a torna uma das maiores cidades do mundo. Seul é um importante centro comercial e financeiro internacional.