Brasília – O Brasil produzirá 33,3 milhões de sacas de café este ano, de acordo com o terceiro levantamento da safra 2005/2006, divulgado hoje (12) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), empresa vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

O volume supera a estimativa do levantamento anterior, divulgado em abril, que previa produção de 32,5 milhões de sacas, mas representa queda de 15,1% em relação à safra anterior, que rendeu 39,27 milhões de sacas.

Entre os dias 3 e 29 de julho, técnicos da Conab realizaram pesquisa de campo nos oito principais estados produtores do grão ? São Paulo, Minas Gerais, Espirito Santo, Paraná, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Bahia e Rondônia ? e constataram aumento de 2,68% em relação a previsão anterior, o correspondente a 871 mil sacas. O aumento se deve, segundo o ministério, às condições climáticas favoráveis.

De acordo com o secretário de Produção Agrícola, Linneu Costa Lima, o aumento supreendeu, mas não terá qualquer reflexo sobre o comportamento do mercado. "A expectativa do mercado e do governo era de que fosse um pouco menor em relação a abril. Mas dentro do consumo mundial esses números ainda são muito pequenos. Nós estamos exportando 2 milhões de sacas por mês e consumindo um milhão. Então, vê-se que 800 mil sacas a mais não têm reflexo nenhum".

O Brasil detém 40% do mercado cafeeiro mundial e é hoje o segundo maior consumidor de café do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos. Para este ano, a Conab estima exportações de pelo menos 26 milhões de sacas, o que corresponderia a US$ 3 bilhões.