A Operação Guerra à Dengue, organizada pela Defesa Civil, concluiu neste fim de semana a primeira etapa do mutirão para eliminar focos e possíveis depósitos de ovos e larvas do mosquito aedes aegipty. As equipes trabalharam nas cidades de Itaipulândia, Prado Ferreira, Mirasselva, Florestópolis, Cianorte, Ponta Grossa, Maringá e Santa Helena.

Além de vistorias às residências, os agentes de saúde e voluntários explicaram aos moradores como o mosquito se prolifera e em quais condições isto acontece. O ovo do mosquito pode resistir até 450 dias em condições ideais para eclodir, principalmente em água limpa e temperaturas elevadas. Também foram distribuídos panfletos, recolhidos entulhos e aplicado o fumacê. Segundo o Ministério da Saúde, metade dos criadouros está nos vasos de plantas nas casas.

?A meta é eliminar os locais de proliferação do mosquito neste momento. Também queremos aproveitar o frio, que é desfavorável á sobrevivência do inseto?, disse o coordenador da Defesa Civil no Paraná, tenente-coronel Anselmo José de Oliveira.