A Conferência Estadual de Cultura, realizada em Guarapuava, com a participação de 404 pessoas, representantes da sociedade civil e do poder público de 165 municípios paranaenses, definiu as propostas de gestão pública que serão encaminhadas à Conferência Nacional, a ser realizada de 13 a 16 de dezembro, em Brasília.

?Fizemos questão de priorizar a presença da sociedade civil organizada, uma vez que trabalhamos em parceria com todos os segmentos e não seria interessante dar um caráter oficial a essa conferência?, frisou a secretária estadual de Cultura, Vera Mussi. Para o representante do Ministério da Cultura, Aloísio Guapindaia, da Secretaria de Articulação Institucional, que acompanhou o evento, ?as conferências têm como objetivo estruturar o Plano Nacional de Cultura, obrigando o Estado brasileiro a colocar em prática ações que transcendam o governo?.

?O Plano Nacional de Cultura será um marco histórico porque, a partir dele, a Cultura não será mais vista como ação exclusiva de governos. Mas haverá uma Lei que obriga o Estado a cumprir metas estabelecidas, que traduzirão realidades nacionais. Desta forma estaremos desenvolvendo ações preservando identidades culturais?, explicou Guapindaia.