Um demonstrativo da importância do Paraná no setor de confecção brasileiro será apresentado em Curitiba durante a 1ª Conftec – Feira de Fornecedores da Indústria de Confecção, que acontecerá de 24 a 27 de agosto de 2005, no Centro de Exposições de Curitiba ? Parque Barigui. O evento, promovido pela Diretriz Empreendimentos, já conta com 60 expositores confirmados de quase todo o Brasil. Eles trarão novidades em produtos e equipamentos de olho na conquista de novos clientes. Também participam 12 associações do mercado têxtil e de confecção.

A realização da Conftec em Curitiba ratifica a posição de destaque atingida pelo Paraná no segmento. Com 5.200 empresas, que representam 17% do PIB paranaense e faturam R$ 2,8 bilhões/ano, o Estado é o segundo maior produtor nacional, atrás apenas de São Paulo. Dentro do Paraná, a produção se concentra em Maringá e Cianorte, responsáveis por 40% das 150 milhões de peças produzidas anualmente. O ramo emprega diretamente mais de 100 mil pessoas. ?É um evento importante porque será a primeira vez que teremos em Curitiba num só local reunidos máquinas, equipamentos, produtos e serviços para a indústria da confecção e também as novidades da indústria da moda?, diz Jackson Hara, gerente de Marketing da Diretriz Empreendimentos.

Negócios

Segundo os expositores e as entidades que apóiam a Conftec, a feira é oportuna para negócios e troca de experiências entre as empresas, mas também servirá para que o setor ganhe espaço no cenário econômico nacional. O presidente do Sivepar (Sindicato das Indústrias do Vestuário do Paraná), de Londrina, e diretor de comércio exterior da Vestpar (Associação Paranaense da Indústria Têxtil e de Confecção), de Maringá, Marcos Tadeu Koslovski, afirma que a expectativa de crescimento do setor para este ano é de 3% a 5% em termos reais.

Segundo ele, o setor do vestuário no Paraná ainda é conhecido como produtor de marcas de terceiros, mas a consolidação de marcas próprias está avançando consideravelmente. Em Londrina, por exemplo, 70% das indústrias já estão trabalhando com marcas próprias. ?A produção para grandes marcas, como Hugo Boss e Zoomp, nos trouxe experiência e é um atestado de nossa qualidade. Mas agora queremos dar visibilidade para a criatividade paranaense, agregando valor e criando marcas próprias?, explica.

Já o presidente do Sindvest (Sindicato das Indústrias de Vestuário de Maringá), Antônio Recco, acredita que o segmento está motivado e prevê um crescimento ainda maior. ?Esperamos um crescimento de 7% a 10% para este segundo semestre?, afirma. Com isso, também deve aumentar o número decontratações, principalmente de costureiras. A expectativa é de 1.100 novos funcionários em Maringá e região até o fim do ano.

Expositores otimistas

Os expositores estão otimistas em relação à primeira edição da Conftec. Eles esperam uma ampliação de 25% no comércio de produtos para o segmento têxtil. A intenção da empresa catarinense Fashion Etiquetas, por exemplo, é ampliar suas vendas e revendas para o Paraná. De acordo com o diretor comercial José Ely Vieira, 90% dos negócios estão concentrados no Estado natal. Mas com a Conftec, as perspectivas mudam. ?Queremos buscar representantes para as regiões de Apucarana, Londrina e Cianorte?, relata. Além de atuar no ramo de etiquetas para produtos têxteis, a Fashion Etiquetas, que é de Blumenau, fornece tinta de impressão para código de barras e assessoria para clientes. 

A Sprintex Detalhes de Moda quer aproveitar a feira para crescer dentro do Paraná, já que concentra a maioria das vendas em outros Estados.  ?Estamos há 15 anos no mercado e sentimos dificuldade no comércio do Paraná. A Conftec é uma estratégia importante para revertermos isso?, explica Andrea Sprintzin, proprietária da Sprintex, explicando que, com a feira, espera ampliar os negócios em, no mínimo, 50%.     

Foco nas exportações

O crescimento das exportações é um fator que também anima os expositores. Segundo dados da Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção), com sede em São Paulo, de janeiro a junho deste ano as vendas para o mercado externo totalizaram quase US$ 950 milhões, o que representa um aumento de 8,56% em relação ao mesmo período de 2004.

Os maiores consumidores de produtos têxteis brasileiros são Estados Unidos e Argentina, que juntos são o destino de quase metade das exportações do Brasil. O Paraná, por sua vez, exportou durante o período pouco mais de US$ 45 milhões. Segundo Koslovski, o Estado está mais focado no mercado interno, que absorve 95% da produção paranaense. Mas já existe um trabalho voltado para o mercado externo, principalmente de exportação de calças, camisas e moda praia para países como Estados Unidos, Espanha e Itália.

A Conftec faz parte da Semana de Moda Paranaense, que conta ainda com mais dois eventos: o 6.º Curitiba Fashion Art, que revelará as tendências para o Verão 2006 sob a ótica dos mais expressivos estilistas e grifes paranaenses; e  o 2.º Curitiba Fashion Business, que vai oportunizar bons negócios a fabricantes da área da confecção do Estado e compradores de todo o Brasil. Com isso, estarão reunidos representantes de três segmentos no mercado de moda: lançamento de coleções, comercialização e produção.

Serviço
Evento: Conftec 2005 ? Feira de Fornecedores da Indústria de Confecção
Local: Centro de Exposições de Curitiba ? Parque Barigui
Data: de 24 a 27 de agosto de 2005
Horário: de quarta a sexta, das 14h às 21h. Sábado, das 14h às 20h
Entrada: convites dirigidos ou mediante pré-cadastro gratuito até 23/08/2005 no site www.diretriz.com.br