O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Luiz Eduardo Cheida, abre nesta quinta-feira (01) o VI Congresso Brasileiro de Bioética, que será realizado em Foz do Iguaçu. O encontro irá reunir palestrantes brasileiros e internacionais para discutir bioética e temas ligados ao meio ambiente, como transgênicos, biopirataria, e desenvolvimento sustentável.

Em sua palestra de abertura, o secretário irá falar sobre ?Bioética, Meio Ambiente e Sustentabilidade?. Segundo Cheida, uma nova ética na relação homem-natureza nunca foi tão necessária. ?A nenhuma outra espécie é dada a opção de destruir ou preservar. Apenas nós, humanos, por conta de nossos interesses, podemos explorar os recursos de uma floresta, colocando-a abaixo, ou obtê-los mantendo-a em pé?, disse o secretário.

?Nós humanos nos consideramos acima ou à parte da natureza. Aprendemos que ela existe para nos servir?, destacou Cheida. ?Porém, ao nos considerar donos absolutos da natureza, confundimos o valor ético que tem a vida humana sobre as demais espécies?, completou.

O congresso prossegue até sábado (03) e durante o evento serão realizadas conferências, mesas-redondas e debates. Toda a programação discute a relação entre a bioética e diversos temas, como pesquisas científicas, aborto, biodiversidade e desenvolvimento sustentável, biossegurança e até mesmo envelhecimento humano.

De acordo com o presidente do congresso, José Eduardo de Siqueira, o tema do meio ambiente foi escolhido por sua preservação estar atrelada à sobrevivência da vida humana no Planeta. ?Parece inquestionável que o destino do ser humano está indelevelmente ligado à integridade da biosfera, o que nos obriga a reconhecer a dignidade da própria natureza e preservá-la muito além de um senso puramente utilitarista?, disse o presidente.