Começa amanhã, em Brasília, o Seminário Internacional de Segurança Alimentar que vai debater experiências e políticas de educação alimentar desenvolvidas em diversos países. O encontro é promovido pelo Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), em parceria com a Fundação Roberto Marinho.

Segundo o presidente do Consea, Chico Menezes, a política de educação alimentar é um dos pontos onde o Brasil pode avançar mais no combate à fome. ?Principalmente, na busca da segurança alimentar, onde [o país] vai conhecer diversas possibilidades, praticar hábitos alimentares saudáveis que podem significar a superação de problemas grandes que ainda nos defrontamos nesse campo?, afirmou Menezes, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional.

Para o presidente do Consea, as iniciativas brasileiras são interessantes e devem ser apresentadas aos representantes de outros países. ?Buscamos experiências que já são praticadas aqui e elas serão discutidas e mostradas junto com especialistas internacionais?. Ele lembra que a política de alimentação escolar beneficia principalmente as crianças. ?Mesmo com recursos escassos é possível tomar iniciativas que são muito importantes. 37 milhões de crianças no Brasil são beneficiadas no plano da alimentação escolar?.

A partir do próximo dia 16, o Consea também organiza o 1o. Encontro Nacional de Experiências Inovadoras em Alimentação Escolar. ?A questão da merenda escolar é chave porque é a escola que consegue transmitir para o conjunto da sociedade os bons hábitos alimentares ou não?, afirma Menezes.

O Seminário Internacional de Segurança Alimentar acontecerá entre os dias 14 e 15 de setembro. Participarão do evento mais de 200 técnicos do governo federal, especialistas do Brasil e do exterior e representantes de dez estados brasileiros.