Começou há pouco a reunião do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara que irá ouvir o deputado Pedro Corrêa (PP-PE). O deputado, que é presidente do PP, assumiu ter recebido R$ 600 mil das contas de Marcos Valério e R$ 100 mil em dinheiro da ex-gerente financeira da SMP&B, Simone Vasconcelos. Ele alega que o dinheiro foi usado para pagar o advogado que defendeu o deputado Ronivon Santiago (PP-AC) em processo no qual foi acusado de compra de votos.