O Tribunal de Contas da União (TCE) rejeitou as contas do ex-prefeito de Ribeirão Preto Antônio Palocci Filho, no exercício de 2002, ano em que renunciou ao cargo que ocupava pela segunda vez para ocupar o Ministério da Fazenda. Seu vice, Gilberto Maggioni (PT), que assumiu a prefeitura no dia 21 de novembro de 2002, também é atingido pela decisão.

Foram constatadas pelo relatório do TCE 20 irregularidades administrativas, entre elas o elevado déficit orçamentário do município, o crescente endividamento da prefeitura e a baixa aplicação de recursos em educação fundamental.

Segundo a oposição ao governo petista, o maior rombo nas contas públicas do município aconteceu no projeto "Vale dos Rios", que previa a construção de uma ponte pênsil, entre outras obras, a um custo de R$ 12 milhões. Somente o projeto consumiu R$ 4,6 milhões e o local desapropriado para iniciar a obra da ponte abriga hoje uma praça pública.

"Fora isso a atual administração vai deixar um déficit de R$ 37 milhões de restos a pagar do exercício de 2003 e de cerca de R$ 50 milhões de janeiro a novembro deste ano. Vamos ver de quanto será o prejuízo em dezembro", afirma o vereador Nicanor Lopes (PSDB).

O relatório do TCE deverá ser votado pela Câmara de Vereadores de Ribeirão Preto até 2006. Caso os vereadores referendem o relatório, Palocci e Maggioni podem ficar inelegíveis por até oito anos, além de serem multados pelos danos causados aos cofres públicos.

O prefeito Gilberto Maggioni e seus assessores não foram encontrados para comentar o assunto.