Brasília – As contas do Governo Central (Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Nacional) registraram superávit primário (resultado de receitas e despesas, sem incluir gastos com a dívida) de R$ 459 milhões em setembro, contra R$ 6,365 bilhões em agosto. O fraco desempenho se deve, segundo relatório divulgado pela Secretaria do Tesouro Nacional, à antecipação da metade do 13o salário aos aposentados e pensionistas da Previdência Social.

Foi a primeira vez na história que a Previdência antecipou o 13o, o que fez com que o saldo negativo do órgão atingisse R$ 8,566 bilhões em setembro, valor 175% superior ao mês anterior. Mas graças ao resultado positivo do Tesouro de R$ 9,064 bilhões, foi possível manter o superávit primário no mês passado.

A receita líquida do Governo Central no mês foi de R$ 37,967 bilhões contra despesas de R$ 37,508 bilhões.

Com o resultado de setembro, o superávit no ano chegou a R$ 48,276 bilhões, correspondentes a 3,17% do Produto Interno Bruto (PIB). As receitas líquidas somam R$ 328,457 bilhões, contra despesas totais de R$ 280,180 bilhões.