Ainda neste mês, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve editar uma medida provisória com novas regras para estimular a contratação de jovens na faixa dos 16 aos 24 anos, em sistema vinculado ao Programa Primeiro Emprego. Entre as mudanças, está prevista a unificação dos incentivos financeiros para pequenas e médias empresas. A informação é do secretário de Políticas Públicas do Ministério do Trabalho, Remígio Todeschini.

Segundo ele, a idéia é incentivar o setor produtivo a participar da inserção do jovem no mercado de trabalho, possibilitando a capacitação profissional e elevação do nível de escolaridade, principalmente nas camadas mais pobres da sociedade. ?O programa está voltado para aquele jovem de baixa renda e de baixa escolaridade, que está no fio da navalha, entre a informalidade e a ilegalidade. Ou recuperamos isso, ou vamos ter um clima de violência e instabilidade cada vez maior?, destacou o secretário.

Todeschini revelou que também há a intenção de transformar os jovens carentes em futuros empreendedores. Na reunião que teve hoje com empresários da Câmara de Comércio Brasil Alemanha, na Zona Sul da cidade, ele informou que o programa deve ser estendido para 140 cidades de 18 estados.

Em operação há cinco meses nas capitais e regiões metropolitanas, o programa já permitiu a contratação com carteira assinada de 707 jovens e o número de vagas captadas atingiu 2.362 entre 2.239 empresas. A expectativa do governo é elevar a oferta com o processo de interiorização. Dados divulgados hoje pelo Ministério do Trabalho revelam que o número de jovens habilitados para participar do programa está em 42.633.