O presidente da Associação Brasileira de Produtores e Exportadores de Suínos (Abipecs), Pedro de Camargo Neto, afirmou hoje que preocupa, o controle de importação que a Argentina deve impor sobre os produtos suínos brasileiros. "É uma burocracia errada e à margem do Mercosul", disse

Ainda não há maiores detalhes sobre o controle a ser adotado. Sabe-se, por enquanto, que todo produto suíno importado do Brasil deverá ser registrado na Secretaria de Agricultura. "Não podemos dizer que é uma restrição às exportações do Brasil, ainda assim é uma burocracia que preocupa", disse Camargo Neto. Segundo ele, existe uma forte briga interna entre produtores argentinos de suínos – que querem barrar as importações – e a indústria processadora, que quer produto mais barato para industrializar, no caso o brasileiro

"Não há motivos para um controle das importações porque as vendas brasileiras para o mercado argentino não tiveram crescimento expressivo nos últimos tempos", afirma o presidente da Abipecs. De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), o Brasil exportou 18 mil toneladas de carne in natura e processada para a Argentina em 2006, ante 17,2 mil toneladas em 2005