O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reforçou ontem (18) a parceria com o novo governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), ao firmar convênio liberando R$ 60 milhões para o projeto de reurbanização da Favela da Rocinha, uma das maiores do Estado. Em discurso, o presidente disse ter visto em Cabral ?a possibilidade concreta de uma ligação umbilical? entre o Rio e o governo federal.

Durante a solenidade, no Palácio Laranjeiras, Lula declarou que ?há muita coisa para o Rio? no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) a ser anunciado na segunda-feira. Ele ressaltou a importância da união entre as duas esferas de governo e tomou para si o desafio de, com Cabral, recuperar a auto-estima do carioca. ?Nós temos quatro anos para provar que o Rio pode ser diferente?, afirmou, acrescentando estar convencido de que os dois vão cultivar ?a melhor relação que já houve na história da República?.

?Queria dizer ao governador que o seu início de governo foi muito vigoroso, uma demonstração de que você veio para mudar a história do Rio?, disse Lula. ?Não é possível que o gesto magnânimo de Deus de criar esta cidade extraordinária esteja sendo jogado fora pela incapacidade e pela insensibilidade de alguns políticos que passaram pelo Rio?, declarou, numa crítica velada aos Garotinho, que governaram o Estado entre 1999 e o ano passado.

O convênio firmado ontem prevê uma contrapartida de R$ 12 milhões do Estado. As intervenções na Rocinha, porém, serão feitas com base em um projeto orçado em R$ 150 milhões, do arquiteto Luiz Carlos Toledo. Segundo o vice-governador do Rio e secretário de Obras, Luiz Fernando Pezão, o dinheiro do governo federal já está depositado na Caixa Econômica Federal, aguardando apenas os projetos que vão detalhar a aplicação dos recursos. Dentro de três ou quatro meses, avaliou, será iniciada a primeira etapa da urbanização, quando serão construídos prédios dentro da Rocinha.