O ministro da Defesa, Waldir Pires, está entre as autoridades que a CPI do Apagão Aéreo, na Câmara, que convocar para prestarem depoimento. O pedido para ouvir o depoimento do ministro foi incluído entre os requerimentos da Secretaria da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).

O autor do requerimento, deputado Geraldo Thadeu (PPS-MG), o havia protocolado no primeiro dia de funcionamento da CPI – 3 de maio -, mas o pedido teve de ser retirado, porque seu texto continha erros. Até agora, a Secretaria da CPI já recebeu 30 requerimentos: 20 só de convocação de depoentes. Amanhã, a comissão tem reunião marcada para as 11 horas, quando deverão ser votados alguns dos requerimentos.

Para ser incluído na pauta dos trabalhos de amanhã, o requerimento de convocação de Waldir Pires tem de ser entregue à Secretaria da CPI até as 17 horas de hoje. Oito dos 30 requerimentos pedem informações e cópias de relatórios e de inquéritos a órgãos do governo ligados ao sistema de controle do tráfego aéreo que investigam o acidente em que dois aviões se chocaram sobre a selva amazônica, em setembro passado, causando a morte de 154 pessoas.