Daniel Garcia/AFP

Com quatro equipes sul-americanas nas quartas de final da Copa do Mundo, algo inédito, Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai podem protagonizar semifinais de Copa América na África do Sul.

Na próxima sexta-feira, em Port Elizabeth (11H00), o pentacampeão Brasil terá uma dura partida contra a Holanda, duas vezes vice, em um confronto entre dois claros favoritos ao título.

Uruguai, bicampeão mundial nos tempos heróicos do futebol (1930 e 1950), enfrentará um jogo teoricamente mais fácil contra Gana, que estreia nas quartas de final, também na sexta, em Johannesburgo (15H30), defendendo o orgulho do continente africano nesta Copa.

A Argentina, do polêmico técnico Diego Maradona, fará um superclássico contra a Alemanha, em um choque envolvendo cinco títulos mundiais (três alemães e dois argentinos) e duas finais de Copa do Mundo (1986 e 1990), com uma vitória para cada lado.

Os argentinos chegam invictos, mas a seleção de Joachim Low perdeu por 1 a 0 para a Sérvia na primeira fase na África do Sul.

Argentina foi campeã mundial em 1978 e 1986, enquanto a Alemanha levou o título em 1954, 1974 e 1990.

O superclássico será no sábado, na Cidade do Cabo (11H00), horas antes de Paraguai-Espanha (15h30), no Ellis Park de Johannesburgo, ao qual os espanhóis chegam como favoritos.

O Paraguai faz história ao chegar pela primeira vez às quartas de uma Copa do Mundo, após bater o Japão nos pênaltis por 5 a 3, depois do empate por 0 a 0 no jogo disputado hoje.

A Espanha é favorita, mas vale lembrar que perdeu para a Suíça (1-0) na primeira fase, enquanto o Paraguai segue invicto.

Os antecedentes não favorecem à equipe sul-americana, que já enfrentou a Espanha em Copas do Mundo apenas duas vezes, ambas na fase de grupos: Na França-1998, quando empatou por 0 a 0; e na Coreia/Japão-2002, quando perdeu por 3 a 1.