Foto por: Stephane de Sakutin

Exatamente uma semana antes da grande final da Copa do Mundo de futebol, uma “Copa do Mundo social” começou neste domingo em um bairro pobre de Johannesburgo. Trinta e duas equipes internacionais, que representam associações que usam futebol em projetos sociais, vão se enfrentar até sábado.

O Festival da Esperança, uma iniciativa da Fifa, é realizado em um antigo gueto no coração da capital econômica sul-africana.

“O objetivo é pôr em contato gente do mundo inteiro, disseminar a esperança através do futebol”, declarou o presidente da Fifa, Joseph Blatter, pouco antes do começo do evento. “É um torneio que se baseia no respeito e na boa vontade”, acrescenta.

A Equipe da Paz, que reúne israelenses e palestinos, a Kids4Life, que luta contra a Aids no Lesoto, e a britânica Parents Against Drug Abuse são algumas das equipes que participam da competição.

Todas as equipes são mistas para promover a igualdade de gênero.

A primeira partida deste domingo põe frente a frente a equipe de um projeto comunitário da própria favela e uruguaios que lutam pelos direitos da criança.

A favela de Alexandra deve abrigar um dos 20 Centros de Esperança que a Fifa prometeu construir no continente africano.

Oito desses centros, que combinam salas de aula e postos de saúde em torno de um campo de futebol, na verdade já estão de pé, como em Khayeltisha, imensa favela perto da Cidade do Cabo, e Mathare, perto de Nairóbi, no Quênia.