O forte temporal acompanhado de descargas atmosféricas, granizo e ventos de até 70 km horários que atingiu em cheio a Capital e região metropolitana na quinta-feira (21), provocou interrupção no fornecimento de energia elétrica em 137 mil domicílios. De acordo com a Copel, este foi o pior temporal nos últimos 12 meses, em termos de estragos no sistema elétrico. Em levantamento parcial, a empresa contabilizou 25 postes quebrados que precisaram ser substituídos e 10 transformadores queimados pela incidência de raios.

Os danos mais sérios foram registrados nas localidades de Piraquara, Pinhais e Quatro Barras, onde o vento derrubou diversas árvores sobre a rede elétrica, quebrando postes e rompendo a fiação. Naquelas áreas, 58 mil consumidores ficaram sem energia por diferentes intervalos de tempo. A ocorrência mais séria atendida pela Copel foi na linha que conecta as subestações de Quatro Barras e Piraquara, onde dois postes quebrados tiveram de ser trocados e outros 12, reposicionados ou reparados. O circuito voltou a operar na tarde de sexta-feira (22).

Na Capital, os desligamentos atingiram 73 mil domicílios de 24 bairros, mas, já no início da manhã de sexta-feia, todo o atendimento estava normalizado. Em menor escala, também foram atingidos consumidores das regiões de Araucária e São José dos Pinhais.

Responsabilidade

Todas as equipes de emergência e manutenção da Copel e das prestadoras de serviços foram prontamente mobilizadas para recuperar as instalações avariadas. A empresa estima em mais de 250 profissionais, entre técnicos, eletricistas e supervisores, o efetivo que esteve empenhado nos reparos. ?A responsabilidade profissional dos empregados da Copel é algo digno de elogio?, avaliou o diretor de distribuição da estatal, Ronald Ravedutti, que acompanhou pessoalmente, no centro de emergências, a movimentação das equipes. ?Muitos eletricistas e técnicos que estavam de folga apresentaram-se espontaneamente, sem que fosse preciso chamá-los, pois tiveram noção das dimensões do problema?, disse.

Os efeitos do vendaval também foram sentidos na Central de Atendimento Telefônico da Copel, que apesar de operar com equipes extras registrou congestionamento a partir das 17h30, momento em que começou o temporal. Pelo menos 30 mil ligações foram feitas à Companhia na quinta-feira (21).