A ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) da semana passada, que reduziu a taxa Selic em 0,50 ponto porcentual para 14,75% ao ano, voltou a usar o termo "parcimônia" ao se referir à possibilidade de novas reduções na taxa básica de juro da economia brasileira, porém com mais ênfase. O Banco Central fala em "maior parcimônia" e não só em "parcimônia". O BC divulgou esta manhã o documento.

"O Copom entende que a preservação das importantes conquistas obtidas no combate à inflação e na manutenção do crescimento econômico, com geração de empregos e aumento da renda real, poderá demandar que a flexibilização adicional da política monetária seja conduzida com maior parcimônia. Essa ponderação se torna ainda mais relevante quando se leva em conta que as próximas decisões da política monetária .