O Corinthians ganhou, mas os 3 a 1 sobre a Ponte Preta, no Morumbi, não foram tão comemorados pela torcida. Como o vice-líder Internacional venceu o Palmeiras no Sul (2 a 1), os corintianos não puderam garantir o título e vão ter de esperar a rodada final, no próximo fim de semana, quando o time de Antônio Lopes, com três pontos de vantagem, pega o Goiás, em Goiânia. O Inter, no Paraná, tem de bater o Coritiba e torcer pela derrota do líder, que não terá Betão e Eduardo ? ambos levaram o terceiro cartão amarelo hoje.

Além da vitória, o Corinthians conseguiu aumentar em um o saldo de gols em relação ao Inter, agora de 5 gols. Num jogo difícil, nervoso, em que até Carlos Tevez errou seu primeiro pênalti no Campeonato Brasileiro, as atenções no lotado Morumbi ? 65.032 pessoas ? estavam divididas. Cada gol em Porto Alegre contava com reações dos torcedores, que, no final, xingaram muito o Palmeiras, por permitir, nos últimos minutos, que os gaúchos fizessem o segundo gol.

Um duelo tenso, como toda decisão. O Corinthians era mais raça do que organização. O argentino Carlos Tevez, bem marcado, brigava, buscava os gols, mas a primeira oportunidade foi de Carlos Alberto ? o melhor do time ?, defendida por Lauro.

Parecia ser só questão de tempo a abertura do placar a favor dos corintianos. A Ponte, entretanto, acabou fazendo após cobrança de falta, desviada para o gol por Gustavo Nery, aos 16 minutos. O juiz Elvécio Zequetto, no entanto, deu gol para Éverton.

A partir de então, os campineiros estabeleceram a tática de parar a todo momento o jogo. Qualquer choque era motivo de pelo menos um minuto de paralisação.

Elton, a novidade no meio-de-campo, pegava bastante a bola, mas não fazia quase nada. Nilmar e Rosinei, dois jogadores que precisam de espaço para aparecer melhor, estavam apagados, presos à marcação.

Aos 37, Gustavo Nery se redimiu. Depois de ajudar no gol da Ponte, no início do duelo, fez a favor do seu clube. Aproveitando rebote da defesa, bateu forte, com estilo, sem chance para o goleiro.

O Corinthians foi para o intervalo melhor em campo, porém apreensivo, afinal, no Sul, o Palmeiras empatava com o Internacional em 1 a 1. O segundo tempo começou lento. A Ponte queria o empate e os corintianos não criavam.

Antônio Lopes tirou Elton e pôs Jô, outro atacante. Substituiu também Eduardo, desaparecido, por Coelho, o autor do segundo gol de falta, aos 41.

Bem antes, Carlos Alberto foi tocado na área, pênalti bem marcado pelo árbitro. Tevez bateu para fora, errando seu primeiro pênalti no Brasileiro.

Caiu muito o ritmo do jogo no segundo tempo e, após tanta dificuldade em campo, com um time que tinha dificuldade em chegar ao ataque, a torcida sentiu o sabor do título após o gol de Coelho. Mas apenas por dois minutos, quando o Inter, com Rentería, acabou com a alegria fazendo um gol em Porto Alegre e garantindo a vitória do vice-líder.

Aos 48, para fechar o placar, Carlos Alberto fez 3 a 1 sobre a Ponte Preta.