O corregedor-geral da Câmara, deputado Ciro Nogueira (PP-PI), disse que ficou satisfeito com o depoimento do secretário licenciado de Comunicação do PT, Marcelo Sereno, na Comissão de Sindicância da Casa, aberta para apurar denúncias e suposto esquema de pagamento de mesadas a parlamentares, o chamado "mensalão".

"Foi um depoimento esclarecedor, a comissão tinha algumas dúvidas e ficamos plenamente satisfeitos com ele", disse Ciro Nogueira. O corregedor disse que o objetivo da comissão era obter informações sobre as denúncias do deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) de que Marcelo Sereno teria participado do "mensalão".

Para o relator da comissão, deputado Robson Tuma (PFL-SP), o depoimento do secretário licenciado foi importante porque esclareceu dúvidas dos parlamentares com relação a outros depoimentos. "Foi um depoimento muito importante para a comissão de sindicância", declarou Tuma.

O depoimento durou cerca de 30 minutos. Ele foi fechado, conforme prevê o regimento da Câmara dos Deputados. Ao sair, Marcelo Sereno não quis falar com a imprensa e disse apenas que "o depoimento é sigiloso".

A Comissão ouviu hoje também o depoimento do deputado Mário Heringer (PDT-MG). Segundo Ciro Nogueira, Mário foi citado em matérias publicadas pela imprensa por ter presenciado reuniões com dirigentes da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). Nesta quinta-feira, a Comissão de Sindicância deve ouvir o depoimento de assessores dos Correios.