O governo reduziu ainda mais o Orçamento dos ministérios, autarquias e fundações para este ano. O Ministério do Planejamento determinou uma redução de 40% nos gastos com diárias de hotéis, passagens aéreas e despesas de locomoção em todos os setores do governo federal. A economia prevista é de R$ 270 milhões ao longo de um ano, que deve ser revertido para contribuição do superávit primário.

O corte faz parte do decreto 4691, publicado no Diário Oficial de hoje, que determina que as despesas correntes relacionadas a esses gastos não poderão ser superiores a 60% das mesmas despesas realizadas no ano passado, ainda não gestão de Fernando Henrique Cardoso. O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, disse que vai analisar o caso das agências reguladoras, como Aneel e Anatel, que informaram que esse corte prejudicaria os trabalhos de fiscalização.