O ministro das Comunicações, Eunício Oliveira, voltou a defender, há pouco, as investigações feitas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), argumentando que não há necessidade de instalação de uma CPI no Congresso para apurar denúncias sobre a existência de um esquema de cobrança de propinas naquela estatal.

"Nós, ministros ligados ao Congresso, estamos mostrando que providências já foram tomadas pelo governo e que os resultados de uma CPI vão ser encaminhados ao Ministério Público e à PF, que já estão investigando", afirmou Eunício, ao participar de uma solenidade na Base Aérea de Brasília. Ele ponderou, no entanto, que "CPI é um assunto da Câmara e do Senado. Portanto, cabe ao Congresso fazer as avaliações".

Eunício evitou responder sobre o possível envolvimento de representantes do PMDB no escândalo dos Correios. Sobre os trabalhos da CPI, disse esperar que os casos que venham a ser apurados se restrinjam ao que já foi revelado, que ele entenda que seja algo isolado.