Brasília – Até domingo, estarão concluídas as investigações individuais sobre os 90 parlamentares notificados pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Sanguessugas. A afirmação é do relator de Sistematização da CPMI, o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP).

?Poderemos, assim, aferir a participação ou não [no esquema] de cada um dos parlamentares mencionados no conjunto de provas que chegou à CPMI?, comentou Sampaio, hoje (27).

Dos 90 parlamentares notificados, 57 têm inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF). Os outros 33 nomes foram citados a partir do depoimento do empresário Luiz Antonio Trevisan, sócio da Planam. A empresa é acusada de ser uma das líderes de esquema que fraudava a compra de ambulâncias com base em emendas ao Orçamento Geral da União, aprovado no Congresso Nacional. O esquema foi revelado pela Operação Sanguessuga, da Polícia Federal.

Carlos Sampaio informou que a comissão trabalha em três linhas: a investigação dos parlamentares propriamente envolvidos nas fraudes; a análise do esquema, desde a apresentação das emendas no Congresso às licitações de compra de ambulância nos municípios; e a apresentação de propostas para evitar que processos como esse persistam.