A CPI dos Bingos acaba de aprovar requerimento de autoria dos líderes do PFL e do PSDB no Senado, José Agripino (RN) e Arthur Virgílio (AM), convocando para depor o compadre do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Roberto Teixeira e o ex-petista Paulo de Tarso Venceslau, ex-secretário de Finanças das prefeituras de Campinas e de São José dos Campos.

Venceslau acusa Roberto Teixeira de extorquir as prefeituras petistas desses municípios por meio de empresas de sua propriedade contratadas sem licitação. A oposição tentou convocar Teixeira na extinta CPI do Banestado, mas o relator daquela CPI, deputado José Mentor (SP), amigo de longa data de Teixeira, engavetou o pedido.

A CPI dos Bingos aprovou, ainda, requerimento pedindo que a Polícia Federal ouça, em São Paulo, Mara Gabrilli, irmã da empresária do setor de transporte coletivo Rosângela Gabrilli. Ontem, ao depor na CPI, Rosângela informou que, em 2003, Mara pediu pessoalmente a Lula que tomasse providências para acabar com a corrupção na prefeitura de Santo André.

Foi ainda aprovado requerimento para que a PF ouça pessoas citadas na investigação para apurar suposta extorsão da multinacional Gtech, entre elas Afrânio de Melo Franco Nabuco que, segundo documento de posse na CPI, fez teria feito lobby para que dirigentes da empresa se encontrassem com o atual presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Mattoso. A CPI começa agora a ouvir o depoimento do advogado Hélcio Cambraia, acusado de envolvimento em esquema de extorsão da Gtech.