O assessor do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, Ademirson Ariosvaldo da Silva , deverá ser reconvocado pela CPI dos Bingos para explicar, entre outras coisas, as 237 ligações que fez para os dois celulares habilitados em nome do motorista Francisco das Chagas Costa e que era utilizado por integrantes da chamada República de Ribeirão Preto, investigada pela comissão e pelo Ministério Público. De 26 de abril a 19 de dezembro de 2002, ele recebeu 107 ligação dos dois aparelhos.

O presidente da CPI, senador Efraim Morais (PFL-PB), disse que integrantes da comissão vão requerer o retorno de Silva para que ele fale sobre os dados obtidos com a quebra do seu e do sigilo bancário, fiscal e telefônico do motorista. Ele depôs em outubro, mas foi por demais evasivo, deixando claro que não quer colaborar com as investigações.

Morais reiterou hoje que os trabalhos da CPI serão prorrogados além de 25 de abril, caso não cheguem a tempo as informações solicitadas ao Banco Central, Anatel e à Receita Federal. Efraim informou que ele o relator Garibaldi Alves (PMDB-RN) voltarão ao Supremo Tribunal Federal (STF) após o carnaval para pedir ao ministro Cézar Peluso que decide sobre o pedido de reconsideração da liminar do presidente do tribunal, ministro Nelson Jobim, impedindo a abertura das contas do ex-caixa de campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e atual presidente do Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Paulo Okamotto. Eles estiveram no início do mês com Jobim, que transferiu a decisão para Peluzo.