O senador Delcídio Amaral (PT-MS), presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga denúncias de corrupção nos Correios, negou, nesta quarta-feira, o pedido para que fosse adiado o depoimento do ex-diretor de marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato.

O advogado de Pizzolato, Mário de Oliveira Filho, pediu que o depoimento de seu cliente fosse adiado por dez dias. O advogado argumentou que Pizzolato precisava se preparar para o depoimento.

Com a decisão de Delcídio de negar o pedido, Pizzolato terá de depor amanhã de manhã no Senado para depor na CPMI.