A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios terá novas regras de funcionamento a partir desta semana. O relator da comissão, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), disse que os trabalhos dos 64 parlamentares, entre titulares e suplentes, vêm sendo aprimorados a cada dia, mas é preciso que eles ocorram de forma mais organizada.

"Temos dificuldades burocráticas internamente. É só vocês ficarem ali na porta e virem que sai um parlamentar e entra outro. Tem uns 10 ou 15 que fazem ponto ali. As informações às vezes saem desencontradas, porque se um técncio estiver fazendo um levantamento ele passa uma informação e meia hora depois passa outro dado", alertou o relator aos jornalistas.

O relator informou que para acabar com esses desencontros de informações, haverá novas regras para acesso aos documentos em análise e para se obter informações. Deputados e senadores, acrescentou, terão uma hora pela manhã e uma hora à tarde para ter acesso aos trabalhos da CPMI. "Estamos organizando os trabalhos e a partir da semana que vem todo parlamentar terá acesso a tudo, mas com horários", disse Serraglio.

Também a partir desta semana, os documentos e os técnicos estarão à disposição dos parlamentares para dar as explicações necessárias sobre o andamento das investigações. "Fora desses horários, nós temos que trabalhar. É fácil o pessoal ficar no Plenário batendo, dizendo que está tendo dificuldades", lembrou.

Segundo Serraglio, quatro deputados vão ajudar diretamente na condução dos trabalhos da comissão. Em relação à fixação de horários para acesso aos trabalhos, caberá ao deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) implantar o esquema de trabalho. Ele vai comandar a organização interna da CPMI, "até para que a gente possa ter uma resposta mais efetiva, em cima das próprias demandas".