Brasília – Há indícios de que 60 prefeituras tenham recebido propina de Luiz Antonio Trevisan Vedoin, sócio da empresa Planam, para compra superfaturada de ambulâncias com recursos liberados por emendas parlamentares. A afirmação é do sub-relator de sistematização da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Sanguessugas, deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), que apresentou um esquema de repasse de propina para essas prefeituras, de acordo com depoimento oficial prestado pelo empresário.

"Verificamos as emendas. Essas emendas se concretizaram no formato de ambulâncias. Esses parlamentares, na grande maioria, envolvidos no esquema de corrupção. Há indício forte que esse prefeito pode de fato ter participado do esquema de corrupção. É forte a suspeita de que grande parte desses 60 estariam participando do esquema de corrupção", afirmou.

De acordo com esquema apresentado por Sampaio, as 60 prefeituras receberam entre 21 de fevereiro de 2002 a oito de julho de 2005 R$ 750.140,00. O menor valor foi de R$ 2.000,00 e o maior de R$ 125.400,00. Ainda de acordo com levantamento, dos 60 municípios, 40 receberam ambulâncias.

A maioria das prefeituras é do PMDB, como 18 administradores a frente da cidade, seguido por PFL, com 12. PDT e PTB têm 5. O partidos que aparecem com quatro prefeitos são PSDB e PPS. O PL tem três. PSB, PP, PRP têm dois casa. E com um representante a frente da prefeitura estão o PT, PSL e PV.

A CPI deverá agora investigar essas cidades. "Temos que identificar, construir as provas para que o sub-relator do Executivo, que é Júlio Redecker, possa investigar esses municípios", disse. Sampaio disse que todas vezes que Vedoin falou comprovou o que disse e que tentar desacreditá-lo só interessaria aos envolvidos.