Começou há pouco a sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos que tem como objetivo fazer a acareação do ex-assessor da Casa Civil Waldomiro Diniz, com o empresário de jogos Carlos Augusto Ramos, o ex-assessor de Antonio Palocci na Prefeitura de Ribeirão Preto, Rogério Buratti, o diretor da multinacional, Marcelo Rovai, e o ex-advogado da multinacional Gtech, Enrico Gianelli.

Os cinco estariam envolvidos nas negociações para a renovação do contrato de R$ 650 milhões entre a empresa Gtech (multinacional do ramo lotérico) e a Caixa Econômica Federal para gerenciamento do sistema de loterias federais. A renovação ocorreu em 2003.

O advogado Rogério Buratti é acusado de cobrar propina de R$ 6 milhões da multinacional como garantia de assinatura do contrato com a Caixa. Enrico Gianelli, também advogado, é acusado de ser o intermediário no processo de contratação de Buratti pela Gtech para facilitar a transação com a Caixa.

O empresário de jogos Carlinhos Cachoeira aparece em fita de vídeo juntamente com o ex-assessor da Casa Civil Waldomiro Diniz. Na gravação, divulgada pela imprensa, Waldomiro pede dinheiro a Cachoeira para livrar da fiscalização os negócios do empresário.