As comissões parlamentares de inquérito dos Correios, da Compra de Votos e dos Bingos não vão colher depoimentos na próxima semana, devido ao feriado de quarta-feira (7). A intenção é dedicar o tempo à análise de documentos.

Na CPI mista dos Correios será realizada uma reunião entre presidente, relator e sub-relatores para definir a agenda de trabalho. "Vamos fazer uma varredura para checar o que está faltando ainda das instituições financeiras, das operadoras de telefonia", disse o presidente da comissão, senador Delcídio Amaral (PT-MS). "Temos que pesquisar, estudar. Aluno não passa de ano só assistindo aula: tem que chegar em casa e ver o que ele anotou, o que o professor ensinou para fazer uma boa prova e tirar dez", observou.

O senador disse esperar que fiquem prontos os próximos relatórios parciais, com uma análise de contratos e movimentações financeiras do empresário Marcos Valério. "Em uma seqüência natural vamos soltando os relatórios parciais para tomar as providências devidas, sem esperar o relatório final", acrescentou. A expectativa é finalizar os trabalhos em novembro.

Segundo o deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR), sub-relator da Comissão, um desses relatórios parciais deverá conter os dados de quebra de sigilo telefônico. A CPI, explicou, já tem um milhão de ligações telefônicas carregadas no sistema. O cruzamento está sendo feito com apoio da Polícia Federal e do Ministério Público da União, a fim de identificar se as pessoas se comunicaram nos dias de saques.

O deputado informou que a CPI mista dos Correios já tem 177 contas no sistema, 57 de pessoas jurídicas e 120 de pessoas físicas.